Páginas

terça-feira, 30 de junho de 2009

Lírico

Minha autonomia metafísica se aflora quando pinto, penso, exponho meu modo, revelo minhas unhas, cabelos, pescoço, pés, virilha, vagina...
Do cheiro Ocre, se origina a mais pura libertinagem, a maçã doce se mescla com a madeira enclausulada dentro de mim.
Minha boca, é apenas um objeto do meu corpo, minha desgustação é obscura, sinuosa,
enigmática.
Reivento formas, trilhas, oráculos místicos dentro de mim.
Me restando ser apenas absoluta, sou apenas eu.
Meu mundo imaginário

pensamentos

Um tempo atrás me sentia como um "peixinho fora d'água" perante algumas pessoas em minha volta,e algumas situações no qual eu encontrava, me via diferente, como uma menina que sempre tinha um "outro olhar",ou a menina "esquisita" ou a menina "doidinha"... daí o tempo foi passando, e idéias que eu já tinha só amadureceram.(ao menos a mim)
Hoje vejo que não sou eu que vivo fora "d'água", mas sim as pessoas que não sabem "nadar"... Vejo seres humanos que vivem num mundo de ilusões materealistas, que são arraigados de valores mesquinhos, e meio que paradoxal , vejo "pessoas vegetos", a navegarem num mar de ilusões.

pi

Basta-me!!
Sou louca sim, pervertida,
uma ordinária...
Me olhem torto, me estranhem,
pois o que quero é sexo selvagem....
ahahaha

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Corpos

Por Mariana Tatos

Bolhas de cristais letais percorre entre
idas e vindas...
Inércia pecorrendo pelos corpos
escravizados de um tempo que já se foi...
Nos córregos, os ecos já se foram diversas formas...
A efusão do instante já passou
somente estagnação ficou presente.

domingo, 28 de junho de 2009

Angústia

Dia quente, frio, morno,
não me interessa mais o grau que mede o termosato
não quero saber nada mais,
o tempo é inerte lá fora,
as flores mucharam e secaram na estação
glacial...
o que o me tens a oferecer?
basta me apenas o silêncio,
quarto somente o silêncio de um ponto.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Dar

Dar não é fazer amor.
Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.

Mas dar é bom pra caramba. Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca...
Te chama de nomes que eu não escreveria... Não te vira com delicadeza...
Não sente vergonha de ritmos animais.
Dar é bom. Melhor do que dar, só dar por dar. Dar sem querer casar...
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral... Te amolece o gingado...
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã ou depois.
Têm pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.

Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora. Durante um mês. Para os mais desavisados, talvez anos.

Mas dar e dar demais é ficar vazio. Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter companhia garantida para viajar (isso é uma merda).
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia (isso é uma merda).
Dar é não querer dormir encaixadinho. É não ter alguém para ouvir seus dengos... (isso é uma merda).
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.

Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.

Esse sim é o maior tesão. Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar .

Experimente ser amado...

Luiz Fernando Veríssimo

Degusta-me

Das simples conversas informais surge um encontro...
Uma hora marcada, uma estação de metrô... meus pulsos se aceleram freneticamente a sua espera, meus pensamentos libertiniosos, soltos... será que as nossas energias se combinarão? Será que gostará de mim? Gostará do meu perfume? Do meu jeito de ser? Será que eu gostarei dele?...(Arre!! respira fundo menina, calma....isso, continue assim, mantenha a mente tranqüila...) Bom, cheguei cinco minutos antes, só aguardar...
De repente uma estrela aparece... luzindo toda a minha curtis, e aquecendo o meu coração. Fico meio tímida e sem jeito de me expressar, mas uma coisa é certa, as nossas energias se combinam (eba! o mesmo universo...)

Roupas descontraídas, um boné, tênis, perfume, uma voz maravilhosamente agradável, papo contagiante e estimulante...ah...e o melhor de tudo, seu sorriso...

A rua em passos desconcertantes, o frio cortando a espinha...e...um singelo beijo, adolescente, doce, meigo, ardente....Papos descontraídos, despreendidos, linguagens na arte, e uma porta aberta a entrada ao Universo Paralelo....

Você me entorpece calando os meus sentidos, me aquecendo para não sentir mais frio, fazendo-me menina mulher em seus braços.
E assim, acabamos desencadeados ao tempo, a noite sendo nossa melhor amiga...
o amanhecer sendo sorridente, cúmplice a outrora de nós dois...(e tudo com direito a um café numa padaria de esquina)
E minhas mãos, não ficaram mais gélidas, ficaram sedosas com o seu toque extasiante...
e tudo do simples encontro se tornou apenas, gostoso...
O que eu mais gosto em vc...sua singularidade, seu sorriso maroto, sua simplicidade, sua particularidade ímpar.
Congela o teu sorriso com o meu, brinda comigo a dança descompassada da vida...Bagunça o meu cabelo com a ponta dos teus dedos, redesenha a minha boca com a ponta da tua língua...Faz-me tua todos os segundos intermináveis do tic tac do relógio...Deixa o teu corpo ser o meu corpo e o meu corpo ser o teu corpo até ser humanamente impossível resistir a delicia que é ser só nós dois...