Páginas

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Arre!!


Temporariamente fora do ar...ou fora da terra, fora do eixo,fora da lucidez, fora da razão, fora do nada, fora da sociedade,fora da bolha,fora das quatro paredes, fora do ciclo....fora de função, fora da realidade abstrata, fora da realidade concreta. Estou fora de mim mesma...como uma incógnita vagando pelos matos insonsos do meu eu, andando feita matuta dilacerante....Estou simplesmente fora de conexão com o mundo real ou irreal....Me sinto cansada...profundamente...

terça-feira, 28 de julho de 2009

Pi

Só me ame bem baixinho...
nas nuances de amor presente,
com ardor fluorescente,
onde o concreto derreta
como chocolate no
paraíso de menininho...

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Cúmplice

Do seu simples afago, palavras vivenciadas, narradas ao pé do ouvido que me lembra historinhas de carochinha, ao conto de encontros triviais de uma vida presente. Vida desmarcada pelo tic tac do relógio, sendo apenas submersa no sentimento do coração...

Ganhando a minha admiração de sua liberdade,

não esta escrita nos livros de história, ou em algum ponto de filosofia,

mas sim a que vai de linguagem de almas para almas....

Você me renasce dentro de mim uma moça, criança, mulher, uma poesia cinestésica...

elevando a minha lucidez na mais perdida inocência,

fazendo que tudo se torna mais brilhante, mais gostoso,

e o melhor de tudo,

Uma reciprocidade transporta de alma para alma,

transformando o tempo num tempo eterno


sábado, 18 de julho de 2009

Somos Bissexuais


Segundo a Psicanálise, todos nós somos bissexuais. Nascemos com determinados instintos cujo processo de socialização reprime. Ser homossexual, heterossexual ou bissexual, são rótulos que aceitamos em nome de regras, normas que nos são impostas por uma uma sociedade castradora. É preciso pensar que, acima de tudo, o ser humano é apto e capaz de amar e ser amado se estiver aberto para tal, independente do sexo que a pessoa possua.

Quando o ser humano aprenderá de fato amar sem ser condicionado a ilusões de "amores platônicos"?

domingo, 12 de julho de 2009

Cristal

Catedral imensa e silenciosa dentro de mimo átrio repousa como um enorme crocodilo.Águas calmas e cristalinas...o regato frio.A víbora desliza entre galhos e folhas mortas,vai alimentar-se de pássaros.Alguém me escuta e me chama e me diz: Cuidado!Nem sei quem é este alguémou eu por perto.Disseminei alguma semente muito antes da hora.Brotou voraz uma planta atroz que me devora.E mesmo correndoporque há pressa,não chego a tempo.Quebraram-se os relógios em meio ao pranto.As esmeraldas inatingíveis...meu quarto.Choverá torrencialmente na noite do parto.Serão águas do Norte,enxurradas.
- Adonis K

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Impossibilidade de Amor Fati


Num emaranhado turbulento metropolitano, onde uma sociedade obscura, parasitária, de vidinhas ordinárias materialistas, condicionadas nas mesmices tolas monótonas diárias, eis que surge você! Propriamente você num todo só seu, reluzente, omnipresente por 12hs a um hemisfério, transparecendo cores extasiadas diversas em todos os dias da rotação Terrena...energizando convite sedutor aos homens a sua natureza real, ou real natureza, metafísica ou translúcida...Enquanto o tempo passa, sua órbita vai se deslocando, me inquieta uma dúvida pertubadora ...quantas vivências e percepções ilusionárias necessita para a desnudez de conscîencia humana?

Náuseas I


Um segundo... apenas um segundo de eternidade ou tempo em vastidão de monotonia do amanhã? ...não!! Antes olhar um oceano e se embriagar por um segundo...do que a insipidez das longas horas do nada.