Páginas

sábado, 3 de outubro de 2009

Liberdade


Hoje eu acordei bem, não sinto mais nauseas, descubro que não preciso ter, mas apenas ser, e meu ser é sentir...um hedonismo epicurista apenas...o meu Sol desabrocha na vida
A arte de ser é a sabedoria ascética do despojamento: não se cobrir de honras, de dinheiro, de riquezas, de poder, de glória e outros falsos valores ou virtudes, mas preferir a liberdade, a autonomia, a independência. A escultura de si é arte dessa técnica de construção do ser como uma singularidade livre.
E a minha liberdade refere-se apenas a mim, meus valores são os meus limites...não preciso consumir...e de fato eu não consumo absolutamente nada...
E que se fodam o restante, não preciso de vocês, apenas da minha arte, ela sim é meu refúgio, a minha compreensão filosófica, me traz conhecimento de forma não filosófica, apenas experimental... sou apenas um antídoto

Nenhum comentário:

Postar um comentário