Páginas

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Sobre Poetas

  Conheci Roberto Piva através de um documentário que assisti um tempo atrás, e me apaixonei não somente por suas palavras, mas pela vitalidade e energia que o artísta carre em suas palavras... nela, desconstroe a poesia como forma manifesta do sufoco e do despedaçamento do indivíduo na sociedade, rompe com a ordem lógico-frasal reproduzindo o caos da cidade, caos que gera uma desestrutura sensorial vista na afluência do delírio egóico na subjetivação do mundo pela irrupção do inconsciente. E sua poesia tem uma reação niilista contra  o mundo, anseio pela aniquilação presente. Abaixo um dos seus poemas, (um dos meus prediletos)

"A Piedade

Eu urrava nos poliedros da Justiça meu momento
abatido na extrema paliçada
os professores falavam da vontade de dominar e da
luta pela vida
as senhoras católicas são piedosas
os comunistas são piedosos
os comerciantes são piedosos
só eu não sou piedoso
se eu fosse piedoso meu sexo seria dócil e só se ergueria
aos sábados à noite
eu seria um bom filho meus colegas me chamariam
cu-de-ferro e me fariam perguntas: por que navio
bóia? por que prego afunda?
eu deixaria proliferar uma úlcera e admiraria as
estátuas de fortes dentaduras
iria a bailes onde eu não poderia levar meus amigos
pederastas ou barbudos
eu me universalizaria no senso comum e eles diriam
que tenho todas as virtudes
eu não sou piedoso
eu nunca poderei ser piedoso
meus olhos retinem e tingem-se de verde
Os arranha-céus de carniça se decompõem nos
pavimentos
os adolescentes nas escolas bufam como cadelas
asfixiadas
arcanjos de enxofre bombardeiam o horizonte através
dos meus sonhos"

Roberto Piva

2 comentários:

  1. Poeta Brasileiro, participante ativo de um grupo de artistas brasileiros desde os anos 60, onde fomentou a sua prática literária, inovadora, provocante para época..suas obras mais importantes são: "Paranóia" e "Piazza", è um artista inquietante e presente até hoje, Para Piva, se Freud não tivesse existido as pessoas andariam pelas ruas arrancando seus próprios olhos. E se Jung não aparecesse as pessoas ainda estariam se atirando nas paredes com medo de fantasmas.

    ResponderExcluir