Páginas

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Híbrido

Dor e cor talvez seja uma só
ponto e navalha se faz o corte
fogo não queima almas soltas
pele expande o sangue que corre
escondido nas grutas escuras

Talvez cor e dor seja uma só
provocam em mim disritmia
aveludada, quente sob seu olhar
a criança corre mesmo que atrasada
o jardim ainda pequeno mas fugaz
enaltece os sonhos vermelhos

Cor e dor seja talvez uma só
prisão vela fulga de corpos inteiros
ou uma só, seja cor e dor
pois em mim sentidos criam-se espelhos

Um comentário: