Páginas

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Poetas

ALMA FECAL
Alma fecal contra a ditadura da ciência
Rua dos longos punhais
Garoto fascista belo como a grande noite esquimó
Clube do fogo do inferno: Alquimistas Xamãs
Beatniks
Je vois l’arbre à la langue rouge (Michaux)
Templo
Procissão do falo sagrado
Deuses contemplam nas trevas o sexo
do anjo do Tobogã
Felizes & famélicos garotos seminus dançam
como bibelôs ferozes
Pedras com suas bocas de seda
Partindo para uma existência invisível
Tudo que chamam de história é meu plano
de fuga da civilização de vocês
Roberto Piva, in Ciclines, 1997

Um comentário:

  1. E também, amém, também.

    E socorro!
    Estou pagando para ver navios
    partirem

    E, repito, socorro!
    Estou pisando meu vinho
    em fezes estranhas

    Eu grito, socorro!
    Estou gritando desde sempre
    e não há ecos

    Eu me calo, socorro
    Estou ao contrário por algumas horas
    e já contrariado novamente

    ResponderExcluir