Páginas

terça-feira, 2 de março de 2010

Estação


oh meu amor, quando compreenderás que o tempo somente é  fluxo e nada mais além disso...ele flutua como o ar, conservando a liberdade dentro de si mesmo. Nada fica, volta, ou segue, o tempo apenas pulsa, é apenas invariável,  nós somos apenas deglutidos por ele. Sim, nós somos, e não é crueldade, é apenas constatação que todos os dias o Sol cruza o céu de leste a oeste e só.



4 comentários:

  1. Um fluxo atróz
    talvez por isso a certeza
    que não é de fora
    que devemos seguir

    Lembro de uma montanha russa
    infinita, enquanto permanecer no carrinho
    zigue zagues, quedas abruptas
    roubam dia a dia nossas forças
    e a grande diversão é o equilíbrio
    planar bem de perto, "Clocks"

    As leis da natureza são ilimitadas
    bem ao contrário de nossas próprias

    Sinto-me um comediante a salvar o planeta
    com apenas 5 sentidos e zilhões de hipóteses

    Digamos que o corpo é aquele carrinho
    e a vida é nem tanto ao ceu(felicidade)
    nem tanto ao inferno(triteza)

    Os trilhos são as escolhas
    nem tanto ao domínio
    nem tanto ao aleatório

    "todos os dias o Sol cruza o céu de leste a oeste"
    Porém, não para sempre

    Eu não acredito nesta simplicidade
    há qualquer cumplicidade

    Realmente não é fácil passar pelo obstáculo
    da bem arquitetada marca do que é loucura

    Recusar ou se recusar
    a novas "ordens naturais"

    ResponderExcluir
  2. Tese correta, bem colocada e direta! Parabéns pela percepção!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Parece viagem
    assista Destrito Zero e Avatar
    e tente entender
    do ponto de vista da exclusão social
    e preveja um futuro

    ResponderExcluir
  4. Oi querida,
    Vi um "quadro" seu exposto numa cacamba de lixo em Moema, sabe aquele que parece um passaro?! Entao...esse mesmo! Todo rasgadinho...emporcalhando ainda mais a cidade!
    Grande autista voce e!!! Rs

    ResponderExcluir