Páginas

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vida Contemporânea

A vida ainda não atingiu os extremos que a fariam sem sentido, mais muito dano foi causado, e todas as futuras ferramentas da certeza, inclusive as novíssimas rotinas (que provavelmente não durarão como o suficiente para se tornarem hábitos) não poderão ser mais que muletas, artifícios do engenho humano que só parecem a coisa em si se nos abstivermos de examiná-la muito de perto. Toda certeza alcançada depois do "pecado original" de desmantelar o mundo cotidiano cheio de rotina e vazio de reflexão terá que ser uma certeza manufaturada, uma certeza escancarada e desvergonhadamente "fabricada", sobrecarregada com toda a vulnerabilidade inata das decisões tomadas por humanos.

" Não acreditamos mais no mito da existência de fragmentos que, como peças de uma antiga estátua, estão meramente esperando que apareça o último caco para que todas possam ser coladas novamente para criar uma unidade que é precisamente a mesma que uma unidade que é precisamente a mesma que a unidade original. Não mais acreditamos numa totalidade primordial que existiu uma vez, nem numa totalidade final que espera por nós numa futura data".      Giles Deleuze e Felix Guattari, Capitalismo e esquizofrenia, 1977,pg42.

5 comentários:

  1. Uhuuuuuu!!!!!

    E eu aqui tentando domar uma égua
    (sem pejorativos, apenas nível do q.i.)
    que tem um pênis enorme e deixa lá fora
    antes de entrar...

    "Nada há de preciso, ao contrário, na coversação, que é a fonte mais comum da "crítica".
    Donde vem as idéias que aí se trocam?
    Qual a importâncias das palavras?
    Não é o caso de se acreditar que a vida social seja um hábito adquirido e transmitido.

    O homem é organizado para a cidade como a formiga para o formigueiro, com a diferença, entretanto, que a formiga possui de uma maneira definitiva os meios para atingir o objetivo, enquanto nós acrescentamos o que é preciso para reinventá-los e consequentemente para variar a forma."
    (O pensamento e o movente - Henry Bergson)

    Lembro quando voce meia Roquentin
    disse que não seria a mesma coisa
    então sorri em silêncio, como quem
    sabe que isto não é mais possível.

    um beijo de corpo também

    ResponderExcluir
  2. Quando voce estiver neste frio gostoso do lado de fora de nós, no play, para mantê-los vivos, aperte Island, King Crimson, vai abastecer o aconchego desta jornada sem rotina.

    ResponderExcluir
  3. Daqui deste inferno
    onde as gentilezas
    (para esconder assédio moral)
    me levaram, estou
    torcendo que seja breve
    este spá em fogo
    pelo menos, verdadeiro.

    Por que os retiros forçados
    sem causas naturais ou fatos da lei
    são tão hipócritas?

    Parece um amor não presente, rss.

    ResponderExcluir
  4. Cheguei em casa bem, claro que já disse isso ao telefone, mas acho que Deus também precisa ficar sabendo. Embora Ele seja tão onipresente, Sua capacidade de assédio e falsa curiosidade nos obriga e temos que obedecer, não existe outro lugar para se viver. Parece contradição, quando bastaria não acreditar Nele e sequer ser curioso quanto.
    Estou assistindo um filme ótimo na globo, apesar da construção humorística. Chiiii, tomara que Deus me perdoe por insinuar não levar tão a sério o humor. Malditas leituras de filosofias de protestos contra o riso fácil!
    Então, estou escrevendo para voce porque sobrou ainda muita vontade de ser grande e acredito que vai atrapalhar meu sono. Porque, para a maioria das pessoas daqui, não basta ser grande, e talvez estão certo, nada adianta ser uma grande merda, sem saber quem a cagou.
    Neste quase aforismo eu me assemelho à maioria, conquanto eu não aceite a me lambusar à toa. Maldita liberdade condicional!
    Bom, o sono já desponta no horizonte, e para terminar peço uma atençãozinha, já reparou que terminaram meus recursos para agradar a platéia; tinha percebido antes mas não acreditei, quando o anônimo se gabou que ele era o único, talvez exatamente porque anõnimo, a dar uma forcinha. Maldito mundo perdido!

    ps. Perdão pelo trote.

    ResponderExcluir
  5. Olá. Gostei do seu blog.
    Interessantissimo ....

    =D

    ResponderExcluir